quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Celebridades

Se a adolescência fica marcada pela busca da identidade única de cada indivíduo, é normal que essa procura se baseie em pontos de referência. Bastas vezes, a escolha recai sobre os ídolos, as celebridades, as figuras do desporto, música e entretenimento que representam sonhos, ambições e projecções futuras. Servem esses indivíduos como modelos de comportamento que se procuram imitar, constituindo-se como opinion-makers da faixa etária entre os 13 e os 20 anos. Ciente desta realidade a YALSA concebeu os Celebrity Read Posters: uma mensagem de incentivo à leitura, veiculada sob a forma de cartazes, em edição inglesa e castelhana (para atingir a população hispânica), e em que se encontram figuras como Orlando Bloom, Sean Connery, Stephen Hawking, Yo-Yo Ma, Shaquille O’Neal, Bill Gates, Enrique Iglesias, Denzel Washington, Salma Hayek, LL Cool J, William Macy, Serena Williams, Ice Cube, Missy Elliot, Ethan Hawke, Colin Farrell, Bernie Mac, Alan Rickman, Hilary Swank e o Departamento de Bombeiros de Nova Iorque.
Transposta a realidade para o nosso país, custaria assim tanto ter uma dúzia de cartazes do mesmo género, com figuras da nossa praça? Os efeitos poderiam ser surpreendentes...
Fica lançado o “réptil”, mesmo sendo o adrian do Benfica :-)

imagens aqui

7 comentários:

ana ag... disse...

O "reptil" é interessante e há elementos na nossa praça que seriam bons embaixadores desta causa, desde que não incluam o Cristiano... por favor!

Gaspar Matos disse...

Compreendo-te, Ana. Mas pensa no seguinte: da mesma forma que muitos adolescentes desataram a delapidar os candeeiros da sala para terem umas orelhas "à la Ronaldo", imagina as consequências se ele se lembrava de dizer que jogava tão bem à bola fruto de treino apurado, abnegação e... inspiração literária?

MCA disse...

Mas o Cristiano sabe ler?!?
Pronto, pronto, estou a ser injusta, coitado do miúdo.
Gostei do réptil: eu sou "lagarta"...

Gaspar Matos disse...

Pelo menos leitura de jogo sabe ele fazer, e de que maneira!
Quanto a saber efectivamente ler, eu prefiro ver a questão sob outro ponto de vista: se ele exultasse outros a ler, eles leriam? Eu acho que sim.
Um abraço!

ana ag... disse...

Penso que uma proposta de comportamento é tanto mais aceite e adoptada quanto mais autêntico for o comportamento do modelo - ou cai-se na situação do “faz o que eu digo, não faças o que eu faço” - que desfaz uma característica tão valiosa da juventude: o idealismo.
Portugal tem figuras jovens nas áreas da música, televisão, teatro, desporto, área empresarial, com gostos pela leitura e capazes de contribuir com bons modelos a seguir.
'Bora lá tentar...

Ovelha Negra disse...

Ja se devia ter comecado! (tudo com acentos e cedilhas, que este teclado nao me deixa incluir)
beijos!

Gaspar Matos disse...

Tenho de concordar contigo, Ana. O melhor conselho vem sempre pelo exemplo. Mas não vejo nisso uma premissa incontornável. Senão, repara: se um pai, hoje em dia, quiser dar a um filho um exemplo de conquista e triunfo na vida através da abnegação, esforço e trabalho, esse exemplo pode perfeitamente ser o Ronaldo. Aplicou-se no que queria ser e fê-lo com todo o mérito e grande esforço pessoal, desde tenra idade. É alguém que nos pode dizer: se quiseres, se trabalhares, se tiveres brio, se te sacrificares, tu consegues! Mas obviamente que o ideal seria o "quem exalta exerce". Já agora, estás a ver alguém do desporto com estas características e com o mesmp grau de notoriedade? A mim, e para já, só me vêm à cabeça treinadores.

Cara ovelha negra, gosto da fotografia mas, acima de tudo, de novos comentários e comentadores! Aparece mais vezes!