quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Maria, a Anglo-Saxónica

Ontem, o adrian assistiu à apresentação da obra de Maria Filomena Mónica (MFM) – Cesário Verde, um génio ignorado –, na Biblioteca Municipal de Oeiras. E de que modo isso está relacionado com este blog? Da obra, na oitava página:

“Passei a ler «O Sentimento dum Ocidental» todos os dias, ouvindo, como Cesário, o ranger das chaves nas fechaduras, o tinir dos talheres num hotel e até, subindo das ruelas do vizinho bairro da Madragoa, as cantigas das varinas que já não há. (…) Não só lia como ouvia Cesário. Quando percebi que tinha de cotejar os poemas transcritos com os originais, decidi comprar um gravador moderno: apesar de a minha voz não ser a ideal, dei-me conta do prazer de ouvir, em vez de ler, os poemas. Só depois comecei a comprar cassetes e CD’s com poesia.”

Nem de propósito, mais uma achega para os recentes posts sobre audiolivros. Mas há mais, que esta senhora não pára. Ainda a propósito de jovens e leitura, leiam este trecho da entrevista à autora, na SIC Online:

"Aos jovens diz: «esqueçam a escola, esqueçam o que dizem os professores, esqueçam os termos da gramática e comecem a ler por puro prazer.» Aconselha a leitura da poesia em voz alta, principalmente a de Cesário Verde. Um poeta de quem, diz, é fácil gostar.”

Obviamente que é fácil, para MFM, dissertar desta forma: não é professora do secundário. Mas o adrian não pode deixar de lhe dar razão, quando se fala em leitura por prazer: esta não pode estar associada à obrigatoriedade académica. Tem de ser por gosto, por deleite. Daí que o que se vai escrevendo por esse mundo, sobre grupos de leitores adolescentes e jovens adultos – em ambiente escolar –, tenha subjacente duas premissas essenciais: nem os livros a ler podem fazer parte do curriculum, nem os orientadores dessas sessões devem ser professores dos participantes. Separa-se, assim, obrigação de devoção, o que traz sempre bons resultados.

A capacidade e coragem de MFM pensar, verbalizar e escrever o que lhe vai na alma, fruto de opinião própria e de estudo aturado, faz dela uma Maria… Anglo-Saxónica*. Aplaude-se!

* Não é por acaso que os ingleses têm o Speakers' Corner: qualquer um pode falar, desde que tenha algo interessante para dizer e alguém que o queira ouvir. Filomena Mónica reserva esse seu direito, e liberdade, para grande incómodo de muita gente que, neste país, acha que dissertar acerca deste ou daquele assunto está destinado a uma elite encartada do título académico respectivo. Já agora, o seu a seu dono: tive conhecimento da entrevista na Sic Online através do entreestantes. Bem-hajas, Bruno!
foto aqui

3 comentários:

Clara disse...

Gaspar, obrigada pela visita à BdJ. Ando mesmo assoberbada, na BN não tempo e em casa, às horas a que chego, não tenho tempo (nem cabeça) para me ligar à net e pensar em alguma coisa minimamente interessante para escrever. E escrever só por escrever também não quero. Mas vai espreitando. És sempre bem vindo.

Gaspar Matos disse...

É justo e honesto!
Mas ficamos (eu e o adrian) à espera desses posts!
Um abraço!

BiblioFilmes disse...

Boa tarde,

Eu represento um grupo de professores que decidiu criar o concurso de vídeos no YouTube intitulado "BiblioFilmes – Livros, Bibliotecas, Acção!", que visa além de promover a leitura, o livro e as bibliotecas públicas e escolares através das novas tecnologias, angariar fundos.

Poderão encontrar mais informação na página oficial do concurso em http://bibliofilmes.com
e no blogue http://BiblioFilmes.blogspot.com .

Vínhamos, por este meio, divulgar a iniciativa e convidar à divulgação e também à participação.

O concurso conta com o patrocínio aos prémios do El Corte Inglés e o apoio do Gabinete do Plano Tecnológico.

Os filmes terão de ser feitos até 2 de Abril de 2008 (Dia Internacional do Livro Infantil), data em que se iniciará o período de votações, até 23 de Abril (Dia Mundial do Livro), em que serão anunciados os vencedores.

Com os nossos melhores cumprimentos,

Organização BiblioFilmes
bibliofilmes@ xariti.com